sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Auto Retrato

Imagem Coletada do Google
No corredor do tempo, hoje, fiquei,
Diante do espelho das quimeras,
Lembrando das antigas primaveras.
Outonos pelo chão eu lá deixei.      

E vagarosamente me quedei,
Diante do retrato que deveras,
Não tinha mais o viço d’outras eras,
E nem os mesmos sonhos que adejei.

Sentei-me na ante sala do passado,
A luz do meu presente desbotado,
Eu fui virando as folhas vez por vez.

O pranto veio triste e amargurado!
Caiu por todo o chão empoeirado,
Rasgando o véu da minha lucidez.
 
                           Edith Lobato                          

4 comentários:

  1. Que momento nos leva à introspecção e nos coloca diante do espelho d'alma! O importante é sabermos que sempre haverá um caminho de Esperança para escrever uma nova história. Beijos amiga , adoro ler o que você escreve.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por deixar registrado em, Matizes da Alma, sua visita e sua opinião. Receba meu carinho.