segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Dono de mim

Imagem coletada do Google Imagem
Dono de mim
Eu quando penso em ti tenho arrepios!
Franzindo cada vão dos meus tecidos,
E cada pelo e poro embevecidos,
No toque dos teus lábios tão macios.
 
Na tua tez me perco em devaneios,
Intumescendo todos meus sentidos;
Tirando dos meus lábios sons, gemidos,
Repriso as tuas mãos sobre meus seios.
 
O corpo meu cativo dos teus braços,
Rendido em teus carinhos, teus abraços.
Nos dois na mais perfeita congruência.
 
Tu sabes despertar-me com perícia!
E cada toque teu, cada carícia,
Gravei pra todo sempre na existência.
 
Edith Lobato – 30/11/14


32 comentários:

  1. Um poema Divino, amei.

    Beijinhos e uma semana feliz.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Cidália. Fico muito feliz com tua apreciação. Feliz semana. Bjs

      Excluir
  2. Lindo! Adorei ler seus versos poéticos e sensuais, amar é tudo de bom, nos inspira sempre e saber aproveitar cada momento disso é uma arte!
    Abraços linda amiga poetisa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda é tua visita Ivone. Grata pela leitura e comentário tão amável. Sinta-se abraçada Ivone.

      Excluir
  3. Lindo e sensual.
    Adorei amiga Edith.
    bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Carmem Lúcia. Feliz com tua leitura e comentário. Linda tarde.

      Excluir
  4. Antes de mais, Edith, quero agradecer a visita ao Começar de Novo. Espero que tenha agradado e que voltes sempre.Já me fiz tua seguidora e cá estarei sempre. Gostei muito da tua poesia e, em se tratando de amor, não há verso que nos deixe indiferente. O amor nos seduz de uma forma avassaladora tornando-nos reféns, tornando-se nosso " dono " Mas é bom que assim seja, pois amor tem que ser dado, tem que ser recebido, tem que ser vivido. Há diferentes formas de amor, mas todas elas são imprescindíveis ao ser humano. Mas, amiga...há tanto desamor por esse mundo afora, tanta falta de amor nas famílias, nos amigos que a sociedade está a ficar tremendamente só; falta amor e os nossos dias estão cada vez com menos cor. Aqui sente-se o calor do amor, mas lá fora " arrepia a frieza do coração humano. Beijinhos e muito obrigada. Fica bem!
    Emília

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Emília, faço minhas as tuas palavras. A sociedade jaz no desamor e isto provém, também da falta de Deus no coração. Amar o outro sem amar a Deus e a si mesmo é a mesma coisa que andar pelo escuro. Não posso doar o que não possuo, mas se sinto no irmo de meu ser cada vez que declaro, eu te amo, ele se agiganta e se torna dono de mim. Obrigada por tua visita, leitura e apreciação encantadora sobre meu poema. Feliz noite e é claro, que tornei-me tua leitora, a partir de hoje. Paz e bem!

      Excluir
  5. Bom dia poetisa querida...
    é mágico descrever o outro assim..
    nos adornando, tomando conta e nos consumindo em amor que é o sentimento que só engrandece..
    o sensual nos toca sempre.. palavras vestidas de mel.. beijos meus e até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E esse tomar de conta independe da razão. Muito obrigada por tua leitura e gentil visita. Bom dia pra ti.

      Excluir
  6. em forma de soneto, um poetizar belo terno e sensual q.b.

    beijinhos

    :)

    ResponderExcluir
  7. EM Tempo!

    tenho post novo hoje!

    boa semana.

    beijinho

    :)

    ResponderExcluir
  8. Que lindo Edith, é intenso e ao mesmo tempo delicado, fala do amor com suavidade ....
    Lindo mesmo,

    Bjks
    My

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Minda. É assim que o sinto, suave em toda eu rs. Bjs

      Excluir
  9. Olá Edith!
    Que belo soneto! Pleno de sensualidade e elegância.
    Uma descoberta maravilhosa, a tua escrita!
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Laura pelo teu deferimento. Obrigada pela leitura e te desejo uma domingo abençoado.

      Excluir
  10. Boa noite Edith,
    Beleza de inspiração. O amor sempre e eternamente cantado.
    bj amg

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde, poetizar com suavidade a chamar o amor, a sua bela poesia encanta.
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é AG, caíram tantas chuvas no meu caminho, morreram flores no jardim da vida mas, mas ele permaneceu em mim. Obrigada por tua leitura. Feliz domingo.

      Excluir
  12. Respostas
    1. Obrigada Rui, grata por tua leitura e apreciação.

      Excluir
  13. o amor sentimento que não se consegue disfarçar, caminho por onde queremos ir, coração aprisionado, o apelo doce que nos leva a escrever sobre ele...tudo para dizer-te que gostei demais deste doce soneto...
    Beijinho cont. de boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Natalia, tudo passa, mas o amor que levamos na alma não envelhece. Obrigada por tua leitura e tua gentil visita. Feliz domingo.

      Excluir
  14. Edith,
    Poema que conjuga tão bem doçura e sensualidade q.b.
    O amor tem dessas coisas...

    bj amg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Carmem por tua visita e leitura. feliz domingo.

      Excluir
  15. Puxa! me comovi com tamanha ternura, belíssimo amiga Edith.
    Que Deus a abençoe, mais o seu talento, beijinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida, foi maravilhoso te receber.
      Bela noite.

      Excluir

Muito obrigada por deixar registrado em, Matizes da Alma, sua visita e sua opinião. Receba meu carinho.