domingo, 28 de janeiro de 2018

Intrusa

 
Intrusa
 
A brisa sicilando na folhagem,
do sonho despertou-me, lentamente.
O azul do firmamento, a fria aragem,
a tua imagem posta em minha mente.
 
No colorido excelso da paisagem,
eu colho teu sorriso, docemente.
Na cor desta ilusão, doce miragem,
te vejo na distância, ternamente.
 
Às vezes sinto a face igual enchente,
e escuto dentro em mim meu próprio brade,
vertendo uma emoção que não se explica.
 
Assim, que quando as águas da torrente,
escorem em filetes de saudade,
o amor o peito enflora, multiplica.
 
Edith Lobato - 9/09/16

Um comentário:

Muito obrigada por deixar registrado em, Matizes da Alma, sua visita e sua opinião. Receba meu carinho.